A origem da Mulher-Maravilha, um dos maiores ícones da DC

A origem da Mulher-Maravilha

Criada por Charles Moulton, o inventor do detector de mentiras, em 1941, Mulher-Maravilha é Diana, filha da rainha Hipólita, e foi a primeira criança nascida na Ilha Paraíso em três mil anos que as amazonas imortais viveram lá. A super heroína está no hall de grandes ícones da DC Comics, ao lado de Superman e Batman.

As Amazonas foram criadas por volta de 1200 a.C. quando as deusas gregas extraíram as almas de todas as mulheres que haviam sido assassinadas por homens e as colocaram na ilha. Uma alma foi retida da criação, que viria a ser Diana. Essa alma pertencia originalmente à filha não-nascida da primeira mulher assassinada por um homem (a quem Hipólita era a reencarnação).

No final do século 20, Hipólita foi instruída a moldar uma pedaço de argila em forma de uma menina. Seis membros do Panteão grego então uniram a alma ao barro, dando-lhe vida. Cada um dos seis também concedeu a Diana um presente: Deméter, lhe deu grande força; Atena, lhe deu sabedoria e coragem; Ártemis, lhe deu os olhos de caçador e compreensão de feras; Afrodite, lhe deu beleza e um coração amoroso; Héstia, lhe deu afinidade com o fogo para que os corações se abrissem para ela; Hermes, a velocidade e o poder do voo. Em publicações recentes, foi revelado que Diana na verdade é filha biológica de Hipólita e Zeus.

Certa vez, Steve Trevor, piloto da Força Aérea americana, colidiu seu avião na Ilha Paraíso. A Rainha Hipólita decretou que a amazona que vencesse diversas provas teria a incumbência de leva-lo de volta aos Estados Unidos, e se tornaria uma campeã em nome das amazonas em território americano. Proibida de participar, Diana desobedeceu sua mãe e, disfarçada, ganhou facilmente o concurso, sendo nomeada a campeã amazona.

Antes de embarcar em sua missão, Diana recebeu o Laço da Verdade, forjado pelo próprio Hefesto. Nos Estados Unidos, assumiu a identidade de Diana Prince e aliou-se ao coronel Steve Trevor. A Mulher-Maravilha não manteve a identidade dela em segredo, e ela não era, no início, uma “super-heroína”. De fato, seu caráter era em muitos aspectos quase a de uma criança inocente. No entanto, Diana foi treinada como uma guerreira e utilizava de força mortal quando necessário. Diana frequentemente lidava com a guerra, a injustiça, a desigualdade, a morte e os conflitos envolvendo os Deuses Olimpianos.

filmes lancamentos
filmes lancamentos
filmes lancamentos

A missão de Diana era de paz, mas ela acabou se voltando contra Ares, o deus da guerra, que pretendia destruir o mundo.

Ícone do Feminismo

Segundo Jill Lepore, repórter da revista New Yorker Magazine, a Mulher Maravilha foi concebida por Dr. Moulton para criar um padrão entre as crianças e jovens de feminilidade forte, livre e corajosa, para combater a ideia de que as mulheres são inferiores aos homens, inspirando meninas a terem auto-confiança e a se realizarem no esporte, ocupações e profissões monopolizadas por homens. Segundo o criador, a única esperança para a civilização é a maior liberdade, desenvolvimento e igualdade das mulheres em todos campos da atividade humana. Ele ainda disse, ao justificar sua criação, que “a Mulher-Maravilha é a propaganda psicológica para o novo tipo de mulher que, creio eu, deve governar o mundo”.

Veja o trailer de Mulher-Maravilha, que chega aos cinemas no dia 1 de junho

Fonte: DC Wiki

Compartilhe!

Saulo Martins

Saulo Martins

Pai, Designer e Gamer. Vai escrevendo sua opinião sobre as coisas enquanto arruma um tempo para ler alguns livros e jogar League of Legends.