BGC Rio 2017

Aconteceu nos dias 07, 08 e 09/04 no Rio de Janeiro o Brasil Game Cup 2017, vulgo BGC, evento organizado pela equipe da Brasil Game Show. Veio com a proposta de trazer as competições de e-sports para um público que pouco sabe sobre esse universo. Coube a mim essa missão de ver de perto o evento e trazer para vocês minhas impressões que, já de antemão, não foram das melhores.

Logo que adentrei no centro de convenções aonde o evento era realizado, achei estranho os dois primeiros stands que ficavam de frente para a entrada. Eram stands do Vasco da Gama e do Fluminense, times de futebol da cidade do Rio de Janeiro. Pois é, você deve estar se perguntando “Por que cara#@os tem stands de time de futebol em um evento de games?”. Eu explico! A organização achou uma boa ideia buscar patrocínios de times de esportes, digamos, tradicionais para ajudar a custear o evento. O problema, na minha opinião, foi colocar isso na cara de quem chega ao evento.

Pois bem, segui em frente e logo vi uma série de máquinas de fliperama rolando toda a sorte de clássicos. Várias edições de The King of Fighters, Street Fighter 2, Cadillacs and Dinossaurs, Metal Slug e outros. A galera passou grande parte do tempo ali (eu incluso). Logo à frente dos fliperamas, se localizava o stand da Saraiva, o maior do evento. Mesmo longe da grandiosidade do que eles apresentaram na BGS, não deixou a desejar em momento algum. Alguns jogos disponíveis para serem jogados no Xbox One e PS4, livros em supostas promoções, periféricos, action figures… ou seja, o de sempre.

Atrás do stand da Saraiva ficava o espaço com o palco e auditório, onde foram realizados as finais dos campeonatos de Dota 2 (sábado) e CS: GO (domingo), além do concurso de cosplay. A galera, num primeiro momento, até se empolgou com os mesmos. Mas o nível apresentado pelas equipes e a pouca importância da competição logo fizeram a galera dispersar. Nem mesmo o carisma (#aquelacarinha) da Nyvi Estephan foi capaz de prender o público na frente do palco. As cadeiras ali posicionadas eram constantemente usadas para descanso dos presentes. Ah, também tinha corrida de drones. Eu realmente esperava algo bem maneiro mas que infelizmente estava pessimamente posicionada, num local escuro e sem nenhum destaque. Uma pena, pois tinha potencial.

Resumo final

A BGC 2017, apesar da organização manter o padrão BGS de excelência no serviço (incluindo no trato com a imprensa), deixou muito a desejar nas atrações e no evento em si, que tinha pouquíssimos motivos para manter o visitante por mais de 3 horas lá dentro.

Que sirva de aprendizagem para todos da equipe e que possam melhorar no futuro. O mercado ferve por eventos do tipo.

Se inscreva em nosso canal!

Curta nossa fanpage

Últimos Posts
Good Omens | Crítica
  • 29 de novembro de 2019
Ford vs Ferrari | Crítica
  • 28 de novembro de 2019
Capitã Marvel | Crítica
  • 10 de março de 2019
FIFA 19 | Draft FUT Online
  • 30 de novembro de 2018
Red Dead Redemption 2 – O melhor jogo da minha vida
Login
Loading...
Sign Up

New membership are not allowed.

Loading...