Geek & Game Rio Festival 2017 – PlaystormPlaystorm

Geek & Game Rio Festival 2017

Depois de muitos pedidos, finalmente um evento de cultura nerd realmente grandioso deu as caras no Rio de Janeiro. A ansiedade do público veio de forma imediata após o anúncio do evento e de suas atrações. Eu, Jonathan Miranda, fui lá pessoalmente conferir os três dias de evento e trago para vocês um resumo do que vi por lá.

O evento

O Geek & Game Rio Festival, que rolou dias 21, 22 e 23/04, veio com a proposta de trazer muito da cultura de social media e produção de conteúdo mesclada com áreas mais tradicionais como literatura, games e cinema. E digo para vocês que a ideia acertou em cheio. A mescla de YouTubers, produtores de conteúdo e grandes nomes do universo gamer rendeu ótimos momentos no evento. Painéis muito bem escolhidos, interações inusitadas e muito bem encaixadas, público bem bacana e uma organização, no geral, muito boa. Você via nos olhos de cada colaborador a felicidade por participar do evento. E isso é algo de extrema importância para um evento crescer e entrar para o calendário nerd da cidade. Ouvir dos famosos lá presentes com quem tive a oportunidade de conversar só comentários positivos, principalmente sobre a organização, é algo a ser levado em conta.

André Gordirro, Affonso Solano e Eduardo Spohr

Os estandes

O evento foi realizado no Rio Centro, um centro de convenções gigantesco localizado na Barra da Tijuca. Logo na entrada, damos de cara com o bom stand da Lojas Americanas, que optou por levar uma mini loja para o local. Isso mesmo, a Americanas lá era como uma loja de rua da marca, com balas, chocolates, biscoitos e afins. E o melhor: com os mesmos preços praticados do lado de fora, o que é ótimo. Isso sem falar dos jogos, que estavam com 50% de desconto. Bem convidativo. Logo à frente, víamos o estande da editora LeYa, que trazia muitos livros de temática nerd/geek, alguns lançamentos e itens bem raros.

Gamer Stadium, onde rolavam partidas de e-sports

Outros estandes merecem destaque também, como o da Escape 60 e da Epic (uma das grandes parceiras do evento), bem montados e com conteúdo diferenciado. No mais, os demais estandes cumpriam bem o seu papel no evento, com pouquíssimos pontos negativos.

Rolandinho e Bruno Bock falando sobre os mitos de se trabalhar com Youtube

Os painéis

Chegamos ao grande diferencial do evento. Desde que as atrações dos painéis foram anunciadas, criou-se uma enorme expectativa. Pela primeira vez veríamos em um evento o elenco inteiro do podcast 99 vidas juntos, in loco. Junte isso à presença de escritores consagrados no universo nerd como Affonso Solano, Eduardo Spohr e Andre Gordirro. YouTubers com forte apelo como Rato Borrachudo, Zangado, Malena, Anderson Gaveta, Rolandinho e Bruno Bock do Pipocando, os Irmãos Castro, Damiani e o grande rei da internet, Maurício Cid do site Não Salvo.

Zangado contando sobre sua história de vida

Os assuntos abordados foram bem diversos. Desde bate papos sem muita pauta sobre os bastidores da internet (rendendo histórias hilárias) até uma verdadeira palestra sobre criação e desenvolvimento de jogos com o mestre Tim Schaffer, criador de clássicos como Full Throttle e Day of The Tentacle (que falamos sobre aqui). Zangado chamou muita atenção falando de sua trajetória e motivando a molecada presente (foi o painel mais cheio, que eu me lembre) e o pessoal do Pipocando, sempre muito carismáticos, desmistificaram com bom humor o trabalho de um youtuber profissional no Brasil. Vale salientar também a simpatia de todos os palestrantes presentes, que atenderam o público com bastante carinho e atenção. Todos extremamente acessíveis.

Cid e Braian do “Não Ouvo”, o podcast do Não Salvo e a galera do 99 vidas depois de palestrarem sobre podcasts

E os pontos negativos?

Claro que nem tudo funcionou perfeitamente. Por se tratar da primeira edição do evento, logicamente alguns detalhes falharam. A sala de imprensa era bem reduzida, meio que no improviso. Os organizadores até se desculparam e, pelo menos de minha parte, as desculpas foram aceitas. O som da área onde era realizado os painéis estava mal equalizado no primeiro dia, sendo até um pouco difícil entender o que os palestrantes falavam, problema esse solucionado no segundo dia, com notória melhora. Mas o principal detalhe que me incomodou foram as mudanças na programação sem aviso prévio. Por exemplo, Maurício Cid não estava fechado desde o começo, o anúncio de sua participação foi feito no sábado, pelo próprio no Twitter. A organização em momento algum divulgou o horário no app do evento nem nas suas redes sociais. Com isso, tivemos um painel bem vazio, mesmo com todo o apelo que o convidado trazia.

Encontro lendário entre os integrantes do Rapadura Cast, Matando Robô Gigantes e 99 vidas

Resumo final

Para primeira edição, o Geek & Game Rio Festival ficou acima da média. Boas atrações, ótimas palestras e diversão que garantia a presença do visitante durante toda a duração do evento. Dos campeonatos de e-sports, passando pelos fliperamas com jogos clássicos e terminando nos painéis bem diversificados, tudo fazia com que as pessoas permanecessem no evento por longos períodos. Tem tudo para entrar de vez no calendário nerd do Rio de Janeiro.

Compartilhe!

Jonathan Miranda

Jonathan Miranda

Carioca que não gosta de praia e adora frio. Semi careca, ainda teima em deixar o cabelo comprido. Gamer desde que se considera gente, é cinéfilo e apaixonado por livros. Passando pela crise dos 30 reclamando, como sempre.