O ídolo do seu filho é gay. E daí?

Como um dos maiores atletas de e-sport do Brasil pode ajudar a acabar com o preconceito contra homossexuais das futuras gerações.

Você pode nunca ter ouvido falar de League of Legends, e muito menos do rapaz que eu vou falar agora, mas eu vou introduzir brevemente para que você entenda. League of Legends é o jogo online mais jogado do mundo há alguns anos. São mais de 67 milhões de jogadores ativos nos 4 cantos do planeta. É muita gente!

Além de toda a diversão natural dos games, o LoL (como é conhecido) possui um dos cenários competitivos mais bem estruturados de todo o mundo dos e-sports. Sim, são esportes eletrônicos.

E como todo esporte, o LoL tem seus times, seus campeonatos nacionais e até mesmo um Mundial.

Aqui no Brasil tem o CBLoL (Campeonato Brasileiro de LoL), que já está na sua 5ª edição, e a final de 2015 reuniu 12 mil pessoas no Allianz Parque.

Acho que dá pra entender o tamanho e a importância desse jogo, não?
Mas não é sobre o jogo que eu vim falar.

Apresentando: Kami

O ídolo do seu filho é gay. E daí?

Gabriel “Kami” Bohn nasceu em Pelotas/RS e tem 19 anos. Ele é um jogador profissional de League of Legends. Mas ele não é QUALQUER jogador. Ele é considerado um dos melhores jogadores de LoL do Brasil. E com certeza, o melhor na sua posição.

Pra completar, Kami foi o primeiro brasileiro a aparecer entre os 10 melhores jogadores do mundo. Ele é conhecido mundialmente.

No ano passado, Kami e seu time, a Pain Gaming, venceram o campeonato brasileiro e tiveram a oportunidade de disputar o Mundial, conquistando a melhor colocação de um time brazuca na história.

Ele tem mais de meio milhão de fãs no Facebook.
Mais de 170 mil seguidores no Twitter.
Uma legião de fãs e admiradores entre crianças e jovens que são apaixonados por League of Legends.

E é gay.

Em 15 de agosto de 2014 ele postou no Facebook um texto assumindo a sua homossexualidade para todos os seus fãs.

E isso me fez pensar. Durante minha infância e adolescência, eu sempre fui muito ligado aos esportes. Eu cresci vendo grandes ídolos pela televisão: Ayrton Senna, um mito das pistas, Gustavo Kuerten, o orgulho do Brasil, Giovanni e seu cabelo vermelho desfilando com a camisa do meu Santos…

Nunca me interessei ou questionei a sexualidade de nenhum deles. Talvez porque a possibilidade de qualquer um deles ser homossexual nem era cogitada pela mídia e pelos fãs.

Mas fiquei imaginando como teria sido caso um deles “saísse do armário” bem no auge da carreira. Já pensou?

O mundo dos esportes sempre foi um tanto quanto machista, e ainda mais preconceituoso quanto à sexualidade. Acho que não preciso citar os exemplos mais óbvios do futebol, não é? Lembra do Richarlyson, que nunca assumiu nada, mas sempre sofreu preconceito? E o apelido de Bambi para os São-paulinos? E Michael Sam, primeiro jogador assumidamente gay da NFL?

Você consegue imaginar a repercussão e o impacto que uma revelação dessas pode acarretar na carreira de um atleta de QUALQUER esporte? Agora imagine em um esporte que é NATIVO da internet, um lugar recheado de trolls, memes, opiniões fortes e insanidade?

Percebe o quanto isso pode ser ainda maior?

Tá, e daí?

O que me deixou muito surpreso (e feliz!) é ver que, mesmo após assumir sua homossexualidade, toda a comunidade e os fãs do jogador tiveram a melhor reação possível: nenhuma.

Hoje, quase 2 anos depois de se assumir, sua base de fãs cresce mais e mais. Simplesmente porque quem é fã do Kami não dá a mínima para o que ele faz fora dos jogos, se ele gosta de mulheres ou de homens.

Kami é ídolo pela pessoa que é, e pelo seu desempenho no jogo e ponto final.

O ídolo do seu filho é gay. E daí?

Algumas respostas dos fãs no post do Kami!

Eu não sei dizer com certeza, mas eu aposto que ele sofreu preconceito e ouviu algumas merdas durante esse período. Infelizmente nos dias de hoje, isso ainda acontece bastante.

Acompanho o cenário competitivo de LoL, os jogadores e os times há quase 2 anos, e não me recordo de ver ninguém falando nada sobre a sua sexualidade. Ninguém deixou de ser fã do cara por isso. Muito pelo contrário.

A coragem e a transparência do Kami só fizeram com que mais e mais pessoas gostassem dele, admirassem seu trabalho e o respeitasse, como jogador e como pessoa.

Me dá uma puta esperança no futuro saber que tem uma molecada aí que tá cagando pra orientação sexual do cara. Simplesmente porque isso realmente não tem importância. E não deve ter mesmo.

“No fim, ser gay não define caráter, não te faz melhor ou pior do que ninguém, não te torna especial, e não te dá direitos que as outras pessoas não tem. Ser gay não é motivo pra ser tratado diferente, assim como não é motivo pra tratar os outros como não gostaria que fosse tratado. Ser gay é, por definição, sentir atração pelo mesmo sexo, apenas.” — Kami

Então, se você aí tem um filho ou uma filha que joga LoL, conhece alguém que joga, não importa a idade, pode ter certeza que eles conhecem o Kami.

E eu tenho certeza que admiram o cara. Porque ele é foda mesmo. Ele joga muito e tem um carisma gigantesco.

O que vi acontecer com Kami e toda essa mulecada que é fã dele me faz ver a luz no fim do túnel brilhar mais forte.

Com a esperança de gerações futuras que respeitem e aceitem as pessoas como elas são ou como querem ser.

GGWP, Kami.

Se inscreva em nosso canal!

Curta nossa fanpage

Últimos Posts
Good Omens | Crítica
  • 29 de novembro de 2019
Ford vs Ferrari | Crítica
  • 28 de novembro de 2019
Capitã Marvel | Crítica
  • 10 de março de 2019
FIFA 19 | Draft FUT Online
  • 30 de novembro de 2018
Red Dead Redemption 2 – O melhor jogo da minha vida
Login
Loading...
Sign Up

New membership are not allowed.

Loading...