PlayStorm indica: We Hunt Buffalo

Com nossa vida agitada de adulto, trabalho, foco em ganhar dinheiro e contas para pagar, muitas vezes não nos sobra tempo pra mais nada. Eu estava há bastante tempo sem procurar algo novo para ouvir, coisa que costumeiramente faço. Curto muito fuçar na internet novos artistas (principalmente de heavy metal em todas as suas vertentes) e sempre acho alguma coisa bacana. Hoje (literalmente, no dia que a matéria está indo ao ar), nessa minha caçada às bandas obscuras, descobri os canadenses do We Hunt Buffalo.

WHB+outside+sat

Mastodon, psicodelia e peso

Com seu primeiro EP lançado no recente ano de 2010, We Hunt Buffalo é um power trio formado por Ryan Forsythe (vocais e guitarra), Brendan Simpson (vocais e baixo) e Brandon Carter (vocais e bateria) que tem seu som calcado em um stoner metal cru e ao mesmo tempo com boas doses de psicodelia e variações. Confuso? Eu explico.

Os canadenses tem uma latente influência dos monstros sagrados do Mastodon em suas composições. Desde a timbragem dos instrumentos até os efeitos (aqui em menor quantidade) e variações. Some a isso musicas com levadas completamente diferentes uma das outras mas ao mesmo tempo com uma forte ligação entre elas, seja pela densidade dos riffs ou pela interpretação vocal. É uma baita viagem de emoções, que traz toda uma psicodelia forte à banda. Entenderam?

O trio possuí dois álbuns lançados fora o EP supracitado. O primeiro disco, autointitulado e lançado em 2011, tem uma pegada mais clássica, sem abdicar das características já citadas aqui. Mas é no recente “Living Ghosts”, lançado no final de Setembro de 2015 que os canadenses mostram toda a sua força. Uma porrada atrás da outra, com toda a variação de ritmos que se pode imaginar, mas sempre com aquele peso, aquela densidade típica do som mais stoner. Uma audição linear, que você nem sente o tempo passar.

we-hunt-buffalo

Resumo Final

Vale muito a pena você tirar um tempo e ouvir o som do We Hunt Buffalo. Pesado, cru e ao mesmo tempo bastante intrincado e técnico. Feito com um desleixo friamente calculado. Grata surpresa.

Para vocês começarem a conhecer, ouçam abaixo a música “Comatose”, do disco “Living Ghosts”.

Se inscreva em nosso canal!

Curta nossa fanpage

Últimos Posts
Good Omens | Crítica
  • 29 de novembro de 2019
Ford vs Ferrari | Crítica
  • 28 de novembro de 2019
Capitã Marvel | Crítica
  • 10 de março de 2019
FIFA 19 | Draft FUT Online
  • 30 de novembro de 2018
Red Dead Redemption 2 – O melhor jogo da minha vida
Login
Loading...
Sign Up

New membership are not allowed.

Loading...