The Low Road

A década de 1960 e 70 foram marcantes para a história da espionagem nos cinemas, com muitas explosões e planos diabólicos de dominar (ou destruir) o mundo. The Low Road, jogo de adventure desenvolvido pelo estúdio independente XGen Studios, possui a ambientação da época, mas ao invés de agentes habilidosos em constante perigo, acompanhamos uma equipe de espiões corporativos dedicados à proteção (ou apropriação) de segredos industriais. Com um belo estilo visual, o jogador deve mentir e chantagear para atingir seus objetivos.

The Low Road

O ano é 1976, quando Noomi Kovacs, uma recém-formada espiã pelo Instituto LeCarre para Espiões Excepcionais (cuja sigla é LIES – mentiras em inglês) foi aceita na divisão de inteligência externa de uma empresa. Sob a supervisão de um ex-agente do governo, Barry “Turn” Turner, o objetivo de Noomi é se tornar uma agente de campo, mas ela claramente não fica feliz ao descobrir que a espionagem coorporativa ocorre em escritórios e telefones.

A primeira missão de Noomi é obter informações privilegiadas de uma empresa rival, enganando uma funcionária por telefone. O jogador está equipado com um arquivo com alguns documentos que poderá usar para mentir e conseguir as informações necessárias. Após essa missão, nossa protagonista faz de tudo para sair do escritório e conseguir alguma ação, e logo está em campo, acompanhando o Agente Turn.

O jogo possui um visual fantástico, desenhado à mão. Mas aqui começam os problemas. Apesar dos belos ambientes, The Low Road possui poucas interações distribuídas na tela.

O design de som é excelente na maior parte do tempo. A trilha sonora é impecável, mas algumas vozes parecem saídos de um latão. E isso é uma pena, pois os diálogos são muito divertidos.

The Low Road

A jogabilidade é bem simples: o clássico point-and-click onde o jogador deve explorar áreas, interagir com itens, conversar com outras pessoas. Mas no jogo, não é possível combinar itens, simplificando demais as interações. Além disso, alguns quebra-cabeças são bem fáceis e o ritmo lento do jogo podem incomodar.

No geral, The Low Road é um jogo curto, com alguns deslizes nas interações. É um jogo bonito, atraente, divertido, com potencial, mas cheio de problemas.

Seja nosso padrinho/madrinha!

Nós sempre fizemos (e sempre faremos) tudo isso por uma única razão: a gente adora isso!

Até hoje, sempre bancamos tudo do nosso próprio bolso: hospedagens, jogos, equipamentos, materiais, divulgação. E mesmo com nossos trabalhos, nossa dedicação e paixão ao PlayStorm fez com que a gente conquistasse um público muito bacana.

E você pode ajudar a gente a manter tudo isso funcionando! Torne-se nosso padrinho ou madrinha! <3

Já ouviu o StormCast hoje?

Se inscreva em nosso canal!

Curta nossa fanpage

Últimos Posts
Good Omens | Crítica
  • 29 de novembro de 2019
Ford vs Ferrari | Crítica
  • 28 de novembro de 2019
Capitã Marvel | Crítica
  • 10 de março de 2019
FIFA 19 | Draft FUT Online
  • 30 de novembro de 2018
Red Dead Redemption 2 – O melhor jogo da minha vida
Login
Loading...
Sign Up

New membership are not allowed.

Loading...