Um ator e dois personagens do mesmo universo

Há poucos dias, o ator Josh Brolin foi escalado como o super-herói Cable em Deadpool 2. Isso causou um “estranhamento” geral, pois o ator dá vida ao vilão Thanos nos filmes dos “Vingadores”, interpretando, assim, seu segundo personagem criado nos quadrinhos da Marvel. Entretanto, essa escolha não influencia os filmes já que apesar de pertencerem à mesma editora, as adaptações cinematográficas de Deadpool, bem como todos os filmes dos X-Men, pertencem à Fox, enquanto os Vingadores pertencem à Marvel Studios.

Mas fato é que um ator interpretar dois personagens diferentes, pertencentes a um mesmo universo (ou mesmo mudar para um parecido), não é algo novo. E, curiosamente, alguns atores que ficaram marcados negativamente pelas primeiras interpretações, acabaram encontrando redenção na segunda tentativa. Vou listar abaixo alguns exemplos disso:

Ryan Reynolds: Lanterna Verde e Deadpool

A primeira tentativa do eterno Van Wilder de ‘O Dono da Festa’ foi em 2009, quando interpretou Deadpool no horrível X-Men Origens: Wolverine. O filme é um show de momentos inexplicáveis e o principal é exatamente o personagem vivido por Ryan Reynolds. Deadpool foi totalmente descaracterizado no filme e apesar de não ter culpa, esse filme marcou a carreira do ator.

Em 2011, o Reynolds foi escalado para dar vida a Hal Jordan, piloto de testes que é escolhido para ser o primeiro membro humano da Tropa dos Lanternas Verdes, ganhando um anel que lhe garante superpoderes. Lanterna Verde (2011) tem um roteiro fraco, atuações duvidosas (Peter Sarsgaard está sofrível nesse filme), além do péssimo figurino do Lanterna, feito em CG. Essa combinação fez o filme ser um dos maiores fracassos do gênero. E olha que a ideia inicial dos produtores era uma comédia estrelada por Jack Black…

Então, em 2016, veio a redenção: o ator teve a oportunidade de mostrar que com um roteiro bem feito e uma boa direção, ele poderia interpretar muito bem um super-herói. Deadpool foi um sucesso de bilheteria e crítica, e se tornou um ícone nerd. O ator ainda conseguiu rir dos erros anteriores, fazendo piada com o primeiro Deadpool e Lanterna Verde.

Ben Affleck: Demolidor e Batman

Ben Affleck já recebeu um Oscar de Melhor Filme por Argo, mas sofreu muito no início de sua carreira por suas fracas atuações. Uma delas foi em Demolidor (2003). A época em que este filme foi lançado, era o início da “era moderna” dos super-heróis no cinema. Blade, X-Men e Homem-Aranha já haviam dado as caras na grande tela e Demolidor jogou um balde de água fria nos fãs. O roteiro fraco, atuações inexpressivas (e beirando ao ridículo, como o Mercenário de Colin Farrell), falta de carisma de vários personagens foram determinantes para isso. Obs.: Jon Favreau que interpretou Foggy Nelson em Demolidor, interpretou também Happy Hogan, o segurança de Tony Stark/Homem de Ferro.

Em 2016, Affleck teve a chance de se redimir interpretando Batman no filme Batman vs Superman: A Origem da Justiça. E o anúncio que o ator viveria o homem-morcego no cinema gerou uma “aura” de preocupação, mas sua atuação foi totalmente satisfatória. Infelizmente, não foi suficiente para salvar o filme…

Chris Evans: Tocha Humana e Capitão América

Quarteto Fantástico é marcado por produções ruins e o filme de 1994 que o diga (essa bizarrice nunca foi lançada oficialmente, mas você pode assistir clicando aqui – mas já adianto que é uma tortura…). Em 2005, Evans fez parte do reboot do grupo no cinema… e não agradou. No papel de Johnny Storm/Tocha Humana, o ator era um forçado alívio cômico na telona e sua atuação foi muito fraca. O primeiro filme até que não é de todo mal, mas a sequência deixou um gosto amargo para a produção. Tanto que um novo reboot foi feito em 2015, mas conseguiu ser pior.

Então em 2011 veio a redenção: Chris Evans foi escalado para interpretar Steve Rogers/Capitão América. Além de limpar a imagem ruim da sua atuação em Quarteto Fantástico, Evans deu vida de forma muito satisfatória ao personagem. Aliás, dois filmes solo dele são os meus preferidos da Marvel Studios: O Soldado Invernal e Guerra Civil.

Michael B. Jordan: Tocha Humana e Erik Killmonger

Jordan substituiu Chris Evans no segundo reboot do Quarteto Fantástico. Apesar de ser um ótimo ator, ele fez parte de um dos maiores fracassos do gênero (talvez ultrapassando Lanterna Verde). O filme consegue ser tão irrelevante, de inúmeras formas, desde seu roteiro até o carisma dos personagens. (Estou torcendo para a produtora Constantin Film não produzir nenhum filme até 2022. Assim, os direitos voltam para a Marvel Studios. Eu ouvi um amém?)

O ator terá sua nova chance em Pantera Negra (2018) quando interpretará o vilão Erik Killmonger.

Ayelet Zurer: Lara Lor-Van e Vanessa Marianna

Aqui não é um caso que precisou de redenção. A atriz israelita interpretou muito bem a personagem Lara, a mãe biológica em O Homem de Aço (2013). Zurer pulou para a Marvel para dar vida à namorada de Wilson Fisk/Rei do Crime na série Demolidor, da Netflix. Nos quadrinhos, Vanessa Marianna na verdade é Vanessa Fisk, esposa do vilão.

Se inscreva em nosso canal!

Curta nossa fanpage

Últimos Posts
Good Omens | Crítica
  • 29 de novembro de 2019
Ford vs Ferrari | Crítica
  • 28 de novembro de 2019
Capitã Marvel | Crítica
  • 10 de março de 2019
FIFA 19 | Draft FUT Online
  • 30 de novembro de 2018
Red Dead Redemption 2 – O melhor jogo da minha vida
Login
Loading...
Sign Up

New membership are not allowed.

Loading...