Batman: The Telltale Series

No fim de 2015, durante o evento The Games Awards, foi divulgado Batman: The Telltale Series, novo jogo do homem morcego produzido pela competente empresa de ex-funcionários da Lucas Arts, a Telltale Games, que entre vários jogos de sucesso podemos destacar The Walking Dead, Back to the Future e Game of Thrones.

Apesar de uma empresa que tem um talento nato em produzir jogos no estilo adventure, a tarefa é difícil ao criar a versão de um dos super-heróis mais conhecido de todos os tempos. E o mais importante, sem fugir de suas raízes para agradar os incontáveis amantes dos quadrinhos.

Bruce_Selina_Rooftop

Mas, para a alegria dos gamers (e fãs do morcego), a Telltale fez uma ótima adaptação de Batman. Mesmo com alguns problemas técnicos. O primeiro episódio, Reino das Sombra, começa de forma frenética com um assalto (ou algo do tipo) à prefeitura de Gotham e o homem morcego intervendo em grande estilo, com direito a curtos flashbacks entre Bruce Wayne e o mordomo Alfred.

A partir dai, a Telltale mostra porque é, atualmente, o melhor estúdio de produção de jogos adventure. A forma como a história é contada, mostrando os distintos valores de Batman e Bruce Wayne é simplesmente fantástica, alinhado à ótima mecânica de jogabilidade que fará o jogador imergir totalmente na história.

Como já devem imaginar, vemos a origem do herói. Será que isso é um pré-requisito que a DC impõe a qualquer empresa que queira contar uma nova história do homem morcego? Sinceramente eu não sei, mas isso não impacta de forma alguma no jogo. Pelo contrário. Tanto a história de Batman como de outros demais personagens do universo, como o Capitão Gordon, Mulher Gato, Falcone, Harvey Dent tem as suas histórias contada desde os primórdios, fazendo com que o jogador decida seu futuro de acordo com as ações tomadas durante o jogo.

Warehouse

A Telltale parece levar bem a sério aquele ditado popular: em time que está ganhando não se mexe. Toda a mecânica utilizada em jogos anteriores estão presentes também em Batman. Como a escolha de diálogos, exploração dos cenários e os famosos QTE (Quick Time Events). Fora isso, foram implementadas novas mecânicas interessantes como, por exemplo, o Modo Detetive. O jogador precisa investigar as cenas de crimes, analisar evidências e combiná-las de forma correta para resolver os mistérios.

Outro ponto muito positivo está na dublagem. Jogadores mais atentos fatalmente reconhecerão algumas vozes como Troy Baker (Joel de The Last of Us) que dá vida ao Batman/Bruce Wayne. Preste atenção e tente descobrir mais alguns: você vai se impressionar com o casting de dubladores.

Mas claro, nem tudo é perfeito. O jogo possui alguns problemas técnicos e é exatamente aqui que a aventura do homem morcego começa a patinar. Graficamente o jogo não é feio, mas não chega a brilhar os olhos do jogador. Texturas simples. Diversos serrilhados (mesmo com a suavização ativada nas opções – claro, para a versão de PC). Movimentação travada dos personagens e queda de frames são consequências da já datada engine gráfica.

Cowl

Vale ou não vale a pena?

Problemas técnicos à parte, Batman: The Telltale Series faz jus a toda história de sucesso do homem morcego durante seus mais de 75 anos. A mecânica já conhecida e adição de novos elementos tornam a jogatina muito mais prazerosa e imersiva. Leva o jogador a realmente incorporar o nosso herói e entender todas as motivações existentes por trás da capa do homem morcego, principalmente quando estiver jogando com Bruce Wayne.

Se inscreva em nosso canal!

Curta nossa fanpage

Últimos Posts
Good Omens | Crítica
  • 29 de novembro de 2019
Ford vs Ferrari | Crítica
  • 28 de novembro de 2019
Capitã Marvel | Crítica
  • 10 de março de 2019
FIFA 19 | Draft FUT Online
  • 30 de novembro de 2018
Red Dead Redemption 2 – O melhor jogo da minha vida
Login
Loading...
Sign Up

New membership are not allowed.

Loading...