PlayStorm Indica #9 – Rival Sons

Como prometi semana passada, na matéria que falei sobre o (intragável) Imagine Dragons (não viu? Clique aqui) venho aqui apresentar para vocês uma banda que, até o começo desse ano, eu não tinha parado para ouvir com calma. Já tinha visto o nome da mesma em sites de música, alguns amigos citaram, mas um belo dia perguntei para alguns colegas músicos quais bandas eles me indicariam e um deles falou “escuta isso aqui”, me mandando um vídeo desses caras de Long Beach, Califórnia. E ouvindo, o primeiro pensamento que me vem à cabeça: “Que puta som do [email protected]#%”

PlayStorm Indica #9 – Rival Sons

O melhor dos anos 70

Sabe aquele som dos anos 70 feito por Led Zeppelin e Deep Purple? Aquele hard rock nervoso, frenético, com uma energia completamente acima da média? Então…imagine isso com a qualidade de gravação de hoje, com uma roupagem mais moderna e uma execução primorosa. Imaginou? Então você sabe o que esperar quando ouvir o Rival Sons pela primeira vez.

A banda, formada por Jay Buchanan (Vocais), Scott Holliday (Guitarra), Mike Miley (Bateria) e David Beste (Baixo, substituindo desde 2013 o antigo baixista Robin Everhart), foi formada em 2009 e já possui quatro discos lançados, sendo “Great Western Valkyrie” o mais recente, lançado esse mês.

Nos dias de hoje, é bem complicado você achar uma banda que consegue reviver um som tão clássico e (por vezes) datado sem soar piegas e por quê não, escrota. E o Rival Sons pode ser tudo, menos escroto. A execução das músicas nos transporta automaticamente para os anos 70, principalmente nos dois primeiros discos lançados, “Before the Fire” (2009) e “Pressure & Time” (2011). E impressiona o alto nível das composições, tanto em termos líricos como instrumentais. A banda passeia por suas influências com extrema competência, sem exagerar em firulas. Mas não se espante. Nada do que você ouvir soará novo, mas sim renovado. O saudosismo com certeza irá bater quando ouvir faixas do naipe de “Pressure & Time” ou “Keep On Swinging”. Não acredita? Saca só.

Os caras, como um todo, são fantásticos. Mas vale dar destaque ao grande frontman Jay Buchanan e aos riffs grudentos, certeiros e nostálgicos de Scott Holliday. Ambos tem performances excelentes em todos os registros lançados pela banda. Isso sem falar a bateria com pegada de “The Who”, tocada com maestria por Mike Miley”

Resumo final

Grande banda. Os californianos do Rival Sons são definitivamente uma excelente banda de rock’n roll. Com todas as suas influências dos anos 70 mescladas à modernidade dos tempos atuais, conseguem fazer um som com qualidade muito alta, sem oscilar em nenhum momento (até agora). Com o último disco lançado, podemos considera-los uma das grandes bandas de rock dessa geração. E melhor que muitas bandas de gerações passadas.

Se inscreva em nosso canal!

Curta nossa fanpage

Últimos Posts
Good Omens | Crítica
  • 29 de novembro de 2019
Ford vs Ferrari | Crítica
  • 28 de novembro de 2019
Capitã Marvel | Crítica
  • 10 de março de 2019
FIFA 19 | Draft FUT Online
  • 30 de novembro de 2018
Red Dead Redemption 2 – O melhor jogo da minha vida
Login
Loading...
Sign Up

New membership are not allowed.

Loading...