Superman Entre a Foice e o Martelo

E se os heróis que nós conhecemos fossem retirados de seus mundos? E se fossem colocados em locais e épocas que existiram ou que poderiam ter existido em seu universo (ou até fora dele)?

Essa é a premissa da coleção Elseworlds da DC Comics. Que teve início em 1989 com a publicação Gotham by Gaslight (Batman na Era Vitoriana), considerada a primeira história da coleção, apesar de originalmente não ser classificada como.

Em Superman Entre a Foice e o Martelo (em inglês, Superman Red Son), foi originalmente publicada em 2003. Com roteiro de Mark Millar (a mente por trás do enredo da saga Guerra Civil da Marvel e da série Kick-Ass) e desenhos de Dave Johnson (também da série Kick-Ass). Em 2004, ela foi publicada aqui no Brasil pela Panini Comics (sendo em seguida, republicada em edição encadernada).

E se?

O enredo da HQ responde a uma simples pergunta. “E se a nave do bebê Kal-El caísse em solo soviético ao invés do americano?”. Nosso herói é criado em uma fazenda ucraniana. Ele cresce desenvolvendo seus poderes se tornando o Homem de Aço (algumas vezes o tratam como Comrade of Steel, ou seja, Camarada de Aço), o braço direito de Josef Stalin, que acaba por se tornar o representante principal do ideal comunista depois da morte do seu líder. Inclusive no lugar do S, Superman utiliza com muito orgulho a foice e martelo, símbolo da União de Repúblicas Socialistas Soviéticas. Superman é símbolo de força do Comunismo em relação ao Capitalismo, que está sofrendo um colapso. Clara sátira à Guerra Fria (período em que se passa a história).

Superman Entre a Foice e o Martelo

Alguns traços da personalidade de Superman são bem próximos ao seu universo regular. Como mesmo as vezes seu governo não sendo necessariamente o ideal para seus cidadãos, ele não se opõe, chegando até a impor a ideologia em certas situações. A HQ ainda conta com participações de personagens conhecidos, como Lex Luthor (que manteve seu caráter original, querendo apenas provar que é superior ao Camarada de Aço), um emblemático (terrorista) Batman, Brainiac, Bizarro, Lanterna Verde e Mulher Maravilha.

Uma curiosidade

A história demorou 10 anos para ser publicado na Rússia e se tornou um sucesso de vendas. Aleksandr Zhikarentsev, diretor do editorial Ázbuka, comentou que uma das razões que os encorajou a publicar a história é que é muito respeitosa com a Rússia. Millar não se limitou à Balalaica (instrumento musical típico russo) e aos ursos polares vagabundeando pelas ruas. Além disso, não é só uma aventura, é uma história com argumento.

Entre a Foice e o Martelo é um daqueles clássicos que vale muito a pena ter em sua coleção. Leitura obrigatória para fãs de quadrinhos. A história ainda guarda algumas surpresas para o final e que claro, não posso falar.

Infelizmente é difícil encontrar a HQ em grandes livrarias, já que não houve uma republicação por parte da Panini Comics. Mas com uma boa garimpada em sebos ou sites especializados é possível achá-la (usada, claro). Para quem não se incomoda em ler em inglês, a publicação está disponível no site/app Comixology.

Se inscreva em nosso canal!

Curta nossa fanpage

Últimos Posts
Good Omens | Crítica
  • 29 de novembro de 2019
Ford vs Ferrari | Crítica
  • 28 de novembro de 2019
Capitã Marvel | Crítica
  • 10 de março de 2019
FIFA 19 | Draft FUT Online
  • 30 de novembro de 2018
Red Dead Redemption 2 – O melhor jogo da minha vida
Login
Loading...
Sign Up

New membership are not allowed.

Loading...