Chuva e música clássica. Quando um amigo meu falou “TEMOS que comprar Rain”, acabei me interessando. Sou fascinado pelas duas coisas. E ainda mais quando Clair de Lune de Claude Debussy, uma das minhas favoritas, faz parte da trilha sonora. Sendo um grande fã do estilo Adventure, não poderia deixar esse jogo de lado.

Rain (ou Lost in the rain no Oriente), desenvolvido pela SCE Japan Studio e publicado pela Sony Computer Entertainment, foi lançado em Outubro de 2013 e (infelizmente) exclusivo para PlayStation.

O protagonista do jogo é um menino que ao avistar a silhueta de uma menina perdida e sendo perseguida por um monstro (Desconhecido), decide embarcar em uma jornada misteriosa através de uma velha cidade deserta e repleta de monstros invisíveis para salvá-la. Ao iniciar essa jornada, ele se torna invisível como ela. Em áreas protegidas da chuva, o menino não pode ser visto e só pode ser rastreado por suas pegadas. O jogador aprende a usar isso para escapar dos monstros, resolver vários quebra-cabeças e tarefas para encontrar um caminho até a menina e para fora da cidade.

A mecânica do jogo é simples, mas os quebra-cabeças são muito fáceis, o que o torna um ponto fraco. O jogador não é desafiado, a não ser nos momentos que precisa encontrar um jeito de escapar do Desconhecido. O jogo é curto, mas particularmente achei o tempo necessário para contar a história.

Rain é simples e belo. Alguns detalhes como as pegadas quando o menino sai da chuva, a lama, são bem executados. Certas partes do jogo são contadas em belas animações em aquarela. A câmera muda de posição conforme o momento, plataforma, angular e visão aérea, o que faz de Rain quase um filme.

When the rain stops, we know there’ll be a rainbow

A trilha sonora, que para mim é um dos pontos fortes do jogo, varia entre a tranquilidade e atmosfera poética da cidade deserta com momentos de tensão ao fugir do Desconhecido. O tema do jogo se chama “A tale only the rain knows”, adaptação da música Clair de Lune pelo compositor Yugo Kanno e cantada por Connie Talbot (e que voz!). Esse tema foi uma grata surpresa.

Se você é fã desse estilo de jogo e desse ambiente poético, não vai se arrepender. Mas se procura desafio, Rain não é um jogo para você.

Se inscreva em nosso canal!

Curta nossa fanpage

Últimos Posts
Good Omens | Crítica
  • 29 de novembro de 2019
Ford vs Ferrari | Crítica
  • 28 de novembro de 2019
Capitã Marvel | Crítica
  • 10 de março de 2019
FIFA 19 | Draft FUT Online
  • 30 de novembro de 2018
Red Dead Redemption 2 – O melhor jogo da minha vida
Login
Loading...
Sign Up

New membership are not allowed.

Loading...